Família Menezes (Maranhão) - Brincadeiras Cantadas

Eng 

A dança está presente nas nossas vidas em diversos momentos, lugares e estilos, nas comunidades, na televisão, nos livros, em cursos e oficinas, nas festas e celebrações. As danças emanam de diversas fontes, estão presentes nas festas sagradas, nos terreiros, igrejas, templos e festas sociais como casamentos, clubes e aniversários, animando tanto manifestações do sagrado quanto do profano. A dança é á palavra do corpo, o movimento do som e a forma de expressão sem limites do universo da arte.     

Para celebrarmos este momento de identificação com a dança popular Brasileira, a proposta é resgatar a cultura de uma maneira lúdica e educativa através das danças, músicas e ritmos, no sentido de contribuir para a formação do ser humano. 

As danças, principalmente as populares, trazem de uma maneira forte a questão da cumplicidade, da reciprocidade e do diálogo com o outro, é quando corpo e alma, criador e criação, visível e invisível se encontram e se saldam no momento da criação.

Público alvo

A oficina tem como público alvo crianças, adolescentes e terceira idade, ou seja, pessoas que procuram, através da movimentação corporal, momentos de conhecimento aliadas ao prazer. Os grupos podem ser compostos de 20 a 24 participantes.

A oficina é apresentada pelas caixeiras  da Família Menezes. A oficina oferece um trabalho de musicalização através da prática do canto e da percussão. Os cânticos são sempre relacionados com elementos da natureza e do cotidiano do lugar. 

Dançado aos pares,  e um deslocamento dos pés acompanhando a batida das caixas do divino, instrumentos fundamentais para esse ritmo. Transmitidos oralmente, são assimilados com facilidade resgatando a memória coletiva, sendo que a percussão simples e vigorosa conduz esta prática de conjunto envolvente e de belo resultado musical. 

O baile de caixa, bambaê. 


         



HISTÓRIA DE CULTURA, ARTE, RELIGIOSIDADE E AMOR AO MARANHÃO


A Família Menezes vem, ao longo dos anos, preservando e divulgando muitas manifestações religiosas e profanas da cultura maranhense.


Representada pelas irmãs Anunciação (Dindinha), Maria José (Zezé), Maria das Graças (Gracinha) e pelos seus filhos: Henrique, Bartira, Ney, Téo e Rômulo Menezes, são ainda responsáveis pelo desenvolvimento de muitas brincadeiras populares em São Luís, São Paulo e Rio de Janeiro como Ladainha, Reis do Oriente, Quadrilha do Oeste, Presépio vivo, Baile de Natal, Tambor de Crioula, Cacuriá, Caroço, Bumba-meu-boi, Queima de palhinha, Comédias, Bois de cofo de Farinha d’agua, Festa do Divino Espirito Santo, Bloco de sujo, Lelê, Baile de Caixa, Bambaê ou Carimbó de caixa entre outras.


Buscando as raizes da Família Menezes, encontramos José Maria de Menezes, o patriarca da família que tocava violão, cantava e compunha sambas e poesias. Francisca Reis de Menezes, curadeira, rezadeira de ladainha, compositora e dançante dos terreiro do Engenho e da Turquia (Matriarca da Família).


Nascidos na Vila Passos, aos 10 anos Dindinha fez uma festa do Divino Espírito Santo com outras crianças da região. Zezé, aos 11anos, já rezava ladainha. Graça fez sua primeira Festa do Divino Espírito Santo aos 9 anos, com crianças da Vila Chaves.


Hoje, residindo no bairro de Fátima, os Menezes tem em seu histórico a realização de Festa do Divino desde o ano de1943, em São Luís do Maranhão.


A partir do ano 2000, depois de oficinas de caixa do Divino realizadas na Associação Cultural Cachuêra, surgiu a ideia de ser feita uma demonstração da festa na capital paulista, sendo então levadas roupas e todos os preparativos desde esta data, tem sido realizado anualmente a festa do Divino Espírito Santo na cidade de São Paulo.


Ainda neste período de 2000, reencontrando o grupo paulista A Barca, foi formada uma parceria muito bacana. Participando de ensaios do grupo onde foi passado algumas composições (doutrinas) religiosas de cura e baião de princesas da Dona Francisca Reis de Menezes (Flor Jurema, Tapuia Jacarandá, Carro Tombador, Maria da Graça). O grupo A Barca, juntamente com a Família Menezes e da casa Fanti-Ashanti, gravou um CD chamado BAIÃO DE PRINCESAS. A Família faz parte  desta conhecida casa de culto de São Luís, desde 1960, casa dirigida pelo Talabyan Euclides Menezes.


Os filhos, desde o ventre das mães, já ouviam todas essas cantorias e participavam dos movimentos culturais. Desde pequenos dançam, cantam, e tocam os ritmos Maranhenses, atos que até hoje todos eles mantêm, fazendo respeitosamente com amor e dedicação para preservar a cultura maranhense.


Além de  shows musicais e teatrais realizados em várias partes do país e fora do Brasil, a família tem uma ligação muito grande com a área da arte-educação, ministrando oficinas sobre todas as manifestação culturais já citadas.


Já realizou shows e espetáculos musicais espaços como Itaú cultural (SP), Espaço Jericó (SP), Casa do Mestiço (RJ), Centro de Cultura Vieira Filho (MA), Fórum Sustentável (MA), Tambor de crioula na casa da cantora Alcione de Nazaré (RJ). Gravação CDs e participações: Caixeiras cantam e tocam para o Divino (Família Menezes), Baião de princesas (A Barca e a Casa Fanti-Ashanti), Cacuriá pé no Terreiro (Grupo Pé no Terreiro), Grupo Cupuaçu (Toadas de Bumba-meu-boi), Grupo cupuaçu (Todo Canto Dança) e Quando dorme Alcântara (Tião Carvalho). 


Quem são:


           -  Anunciação de Maria Reis Menezes (Dindinha) - Ebame da Casa Fanti-Ashanti, Caixeira do Divino e Cantora;


           - Maria José Reis de Menezes (Zezé) - Ekédi da Casa Fanti-Ashanti, Caixeira do Divino, Cantora, Compositora e Líder Comunitária. 


           - Maria das Graças Reis de Menezes (Graça) - Cantora, Compositora, Caixeira do Divino e Arte-Educadora


           - Henrique Menezes - Ogã Alabê da Casa Fanti-Ashanti, Cantor, Músico, Compositor e Arte-Educador


           - Bartira Menezes - Cantora, Dançarina, coreógrafa, Caixeira do Divino e Arte-Educadora;


           - Ney Menezes - Percussionista 

           

           - Téo Menezes - Percusionista e Arte-Educador


           - Rômolu Menezes - Ogã da Casa Fanti-Ashanti, percussionista e cinegrafista


    Hoje, morando em São Paulo, Graça, Henrique, Bartira e Téo Menezes, vivem cantando, tocando e animando as festas, em diversos espaços e cidades. Duas ou três vezes ao ano, a família toda se enconta em São Paulo, de abril a maio, e em São Luís, entre junho e julho e em setembro.