Artigos e Notícias


A Fonte do Bem

12/01/2013

Prefácio

Este livro é uma compilação extraordinária do discurso espiritual moderno. É um testemunho vívido da missão do Mestre espiritual búlgaro Peter Deunov do último ano de sua vida. Nos o veremos vivendo como um refugiado em uma pequena casa durante os últimos 9 meses da Segunda Guerra Mundial, com um pequeno número de discípulos e apresentando a ele a síntese de sua visãoem relação a vinda da nova cultura da Fraternidadee Amor.

Ele os levava diariamente para passeios em contacto coma natureza e respondia suas perguntas, instruindo-os com palavras simples sobre os elementos essenciais a respeitodo Ensinamento que Ele trouxe para o mundo.

Muito significativamente, Peter Deunov descobriu duas pequenas fontes, num declive diante da casa onde ele estava. A uma delas ele deu nome de ‘Fonte do Bem’ e a outra ‘Fonte da Saúde’, juntamente com seus discípulos ele encaminhou a água para um dique que foi construído. Esse ato sagrado de trazer a ‘água viva’ diretamente da natureza para os seres humanos teve um significado simbólico muito forte.

O Ensinamento que ele trouxe da ‘Escola da Fraternidade Branca Universal’ é a fonte da novaVida Espiritual. Antes que a humanidade possa receber a nova cultura, é preciso primeiro passar por um processo de limpeza. O Mestre explicou que esta é a razão das tribulações do século XX. Peter Deunov disse aos seus seguidores que o processo de purificação significa a erradicaçãodo velho karma. Através do sofrimento nós quitamos nosso débito antigo.

Ao mesmo tempo ele apontou os caminhos positivos para entrarmos em nossa Vida por meio do Amor. Durante a última fase da Segunda Guerra Mundial, Peter Deunov deu nova esperança para a humanidade.

Os problemas que devemos suplantar são temporários e parte do estágio inicial da Segunda Vinda de Cristo, que segundo ele começou em 1914. O retorno de Cristo é defato o tema central da moderna espiritualidade que convida a humanidade a acordar e a abandonar o velho estilo de vida. As palavras de Peter Deunov introduzem o leitor deste livro num caminho de espiritualidade moderna, incluiu um novo cuidado para nossa saúde, o que podemos aprender da natureza, uma nova experiência com a música e dança sagrada (Paneuritmia), introdução as leis básicas da vida humana, uma nova visão da educação infantil, uma consciência com os dons do Amor e um caminho para trabalhar por uma nova ordem social que é baseada nesse Amor.

Entre os professores da moderna espiritualidade Peter Deunov ocupa um lugar especial. Ele está anunciando uma longa tradição espiritual de um país que herdou duas outras Escolas Místicas no passado; As Escolas de Orpheus e a dos Bogomilos. Ao fazer isso ele deu voz ao desejo de uma real comunidade humana e, por conseguinte a unificação espiritual da humanidade. Seu ensinamento busca preparar a nova cultura global da Fraternidade que está para ser estabelecida no futuro.

Durante os horrores da Segunda Guerra Mundial, Peter Deunov falou veementemente contra o bombardeio de cidades desprotegidas e a tendência para a justificação das guerras ideológicas. Ele expressou desaprovação para com os fabricantes de armas que provocam novas guerras para manter o comércio bélico. Isso continua uma realidade para os nossos tempos.

O povo precisa trabalhar por uma nova cultura do Amor e voltar-se para aFonte do Bem, prestando atenção nas palavras de Deunov: o Bem que você faz é como semear um campo. Semeie para poder colher. Neste mundo Deus não permite que o menor bem praticado não seja abençoado.

Introdução

“E aquela Luz resplandeceu na escuridão e a escuridão não conseguiu Vencê-la.” – João 1:5

Peter Konstantinov Deunov nasceu em 11 de julho de 1864, no vilarejo de Nikolaevka, Bulgária, na família de um padre ortodoxo. Quando tinha 24 anos, viajou para os Estados Unidos para seus estudos acadêmicos, onde diplomou-se em Medicina e Teologia. Dois anos após seu retorno para a Bulgária, aos 33 anos de idade, Peter Deunov foi chamado por Cristo para divulgar seu ensinamento e adotou o nome espiritual de Beinsa Dunó.

O Mestre Beinsa Dunó, começa sua missão dando conferencias para um pequeno grupo de seguidores. Ele pregava o Ensino Divino no qual, é o Amor que conduzà Vida, a Sabedoria que conduz à Luz, e a Verdade que conduz à Liberdade.

Eventualmente seus discípulos cresceram em número chegando a alguns milhares, tanto na Bulgária como no exterior, e em 1927 foi criada uma instituição para abrigar sua comunidade de seguidores próximo de Sófia, capital da Bulgária. O Mestre denominou a instituiçãode “Izgrev”, que significa “O Nascer Do Sol”. Lá eleviveu entre seus discípulos e fundou a escola esotérica para jovens, como também para os adultos. Ele dava palestras diárias aos seus discípulos, e aos domingos os sermões eram abertos ao público em geral.

A Música tinha uma participação especial na vida da comunidade. O Mestre era um músico genial que criou muitas canções espirituais e melodias onde Ele as executava magistralmente em seu violino. O canto e a prática dos instrumentos musicais faziam parte integral das atividades diárias da comunidade. Ele introduziu a Paneuritmia (O Ritmo Divino do Cosmos) para seus discípulos, como um método para o desenvolvimento espiritual e evolução permanente da humanidade.

Paneuritmia é um sistema de movimentos meditativos acompanhado de música e praticado durante a primavera e verão ao ar livre. O mestre encorajava seus discípulos a praticar a Paneuritmia nas montanhas onde as forças cósmicas poderiam se recebidas num estado de pureza.

O Mestre jamais deixou de se preocupar com os fatos concernentes ao dia a dia da vida. Em suas palestras sempre havia um espaço especial para a nutrição, as causas das doenças, a função do casamento e a maternidade, e a educação das novas gerações. Como ele vivenciou as épocas tanto da primeira como da Segunda Guerra Mundial, O Mestre podia explicar as causas desses eventos, como também oferecer métodos para evitar futuras destruições.

Em janeiro de 1944 após o inicio do bombardeio de Sófia durante a Segunda Guerra Mundial, o Mestre mudou-se com um grupo de seus seguidores para o vilarejode Murtchaevo – próximo de Sófia. Lá ele deu suas últimas orientações e ensinos, sumarizando suas palestras anteriores. Estas últimas palavras foram taquigrafadas por seus discípulos mais íntimos Boyan Boev e Borís Nikolov no livro “The Wellspring of Good” (‘A Fonte do Bem’).

A vida do Mestre Beinsa Douno perfeitamente exemplificada de como viver corretamente, e – o mais importante – inteiramente aceitar as duas Grandes Leis: o amar a Deus e ao próximo. O Mestre terminou sua vida terrena no dia 27 de dezembro de 1944 em Sófia com as seguintes palavras: “Uma pequena tarefa foi concluída.”

Leia o artigo completo em PDF