Artigos e Notícias


pexels.com

Curando as doenças - Doença e saúde (Capítulo II)

23/06/2017

Não existe maior felicidade do que ser saudável.

Sadia é a pessoa cuja mente, coração e vontade estão em completa harmonia com a Causa Primeira de tudo, com os semelhantes e consigo mesma.

Só quem é são nos aspectos físico, mental e emocional tem saúde real.

A alegria da Vida é a saúde, e esta é determinada pela harmonia entre os elementos que atuam no organismo humano.

A pessoa saudável valoriza as bênçãos que lhe foram dadas e as usa conscientemente.

A saúde depende de uma vida sensata.

Ela é uma das manifestações da felicidade. No ser humano feliz, todos os órgãos são sadios. Durante toda a sua vida ele não se queixa de doença alguma.

No mundo físico, a saúde é um imperativo. No plano Espiritual, onde a matéria é de um tipo diferente, o que é necessário é Pureza.

É impossível alcançar Saúde sem Pureza.

Quando atingir a Vida real, você terá saúde perfeita. Ela é uma qualidade da alma, do espírito humano. Por esse motivo, deve-se cuidar da saúde como de um tesouro raro.

A primeira tarefa da ciência é proporcionar conhecimento para preservar a saúde.

Uma pessoa saudável é aquela cujo cérebro, pulmões e estômago funcionam adequadamente. Esses três sistemas precisam estar em bom estado.

Na pessoa sã, cada órgão tem um tom e uma vibração específica – que correspondem também a uma cor particular. Se todos os órgãos trabalham corretamente, sua atividade produz sons agradáveis e harmoniosos; essa atuação justa, que gera música, demonstra que há saúde perfeita.

O corpo saudável é bem organizado e não tem gorduras nem excessos. Há nele absoluta harmonia entre as células do cérebro, dos pulmões e do estômago, e entre todos os órgãos. Em tal condição, o homem experimenta alegria quando pensa, sente e age. Esse é o estado natural do organismo: o ser humano normal age sempre com prazer, faz tudo de acordo com a lei da Liberdade.

Uma pessoa inteiramente sadia é aquela cujo organismo não apresenta nenhum tipo de sedimento, em cujo corpo não existe deterioração nem dissociação.  

O ser humano perfeitamente saudável não cede à sugestão. Esta é semelhante às ondas do mar; o navio precisa ser bem construído para não se quebrar e não permitir que a água penetre nele. Se acontece uma rachadura, as ondas fluem para dentro e o avariam. O pensamento é como um oceano por onde o navio humano singra.

Quando a pessoa está pensando, as energias do cérebro fluem para o sistema nervoso simpático [vegetativo]. Quando sente, o sentido é oposto, o fluxo vai do sistema nervoso simpático para o sistema cerebral [nervoso central]. A saúde e o pensamento correto dependem da intersecção adequada dessas energias.

O que é saúde? É como um investimento bancário. Se você gasta o capital todos os dias sem depositar nada, irá à falência, ao passo que, se investe algo a cada dia, o capital aumentará, isto é, sua saúde se fortalecerá. Não estranhe, portanto, se, após ter sido saudável, você ficou doente. Muitas pessoas despendem seu capital sem investir nada no banco e perdem a saúde sem perceber.

O dom mais precioso que o homem recebe é a Vida. O cérebro é condutor da Vida, e a mente é seu canal. O indivíduo saudável é aquele que organiza as energias de seu corpo. Se seu pensamento não for organizado, o corpo também não será.

Em uma pessoa cujo corpo, coração e mente são saudáveis, três fragrâncias emanam dela. O corpo sadio exala um aroma especialmente agradável. Sentimentos sublimes desprendem outro tipo de perfume. Se falta um dos três odores, há alguma doença.

Uma vida de bondade proporciona saúde. Quando você chega perto de alguém que vive bem, sente uma fragrância especial vinda de seu corpo, um néctar como o das flores. Esse aroma ultrapassa o perfume de todas as flores que conhecemos.  

Como reconhecer uma pessoa sã? Quando olha para o céu, seja à noite ou durante o dia, ela sente alegria e gratidão por tudo que recebeu. Quem não fica feliz ao olhar para o céu e não agradece por tudo é uma pessoa doente.

Sentir fome ou sede significa que se é saudável. Perdê-las é sinal de enfermidade. Se o ser humano tem sede e fome de Verdade, isso demonstra saúde. Quando se torna indiferente e diz: “Não me importa”, esse é um estado doentio.  

O homem é saudável quando fluem correntes elétricas frias ao longo de seu lado direito, e correntes quentes pelo lado esquerdo.

Ao tocar a mão de uma pessoa sadia, cujo pensamento é concentrado, você sente a energia fluindo dela. Se, ao contrário, ela não é sã e incapaz de concentrar o pensamento, você não percebe a emanação de energia; ela é uma bica bloqueada. O ser humano saudável é como uma torneira aberta: a energia entra e sai normalmente.

Na pessoa saudável, o fluxo de eletricidade e magnetismo é permanente, existe uma vibração contínua. Quando a vibração é normal, todo o suor é eliminado do corpo, jorrando pelos poros. Esse é um ser humano justo e seu corpo é limpo, permanentemente se depurando e lançando fora os excessos. Não é a água que o lava, é sua vibração que o purifica; não há bloqueios em seus poros. Só assim pode haver saúde.

Ao apertar as mãos de um ser humano sadio, você percebe que um lado é quente e o outro, frio; uma mão é cálida e a outra fresca, uma metade da cabeça é morna, e a outra fria. Isso não acontece na pessoa que não é sã. Nela, as correntes ou são tépidas ou frias. Isso se deve à perturbação no equilíbrio das energias no organismo. A fim de se curar e recuperar a saúde, é preciso restaurar esse equilíbrio interno.

A mão de alguém saudável não é nem muito úmida e quente, nem excessivamente seca e fria. Esses são os extremos. Quando toca a mão direita dessa pessoa, você sente um frescor agradável. Já sua mão esquerda é levemente morna. Contudo, mesmo durante a mais leve enfermidade – seja física ou mental –, esses fluxos se misturam no organismo e, em consequência, ocorrem diferentes estados doentios: pressão no osso temporal, atrás das orelhas, na parte de trás do cérebro, etc.

O ser humano saudável tem mão firme e, consequentemente, uma letra estável. Se você quer conhecer seu estado, ao se levantar de manhã, desenhe várias linhas retas paralelas. Quanto mais retas elas forem, mais constante você é.  

O contato com pessoas delicadas gera um sentimento agradável; a suavidade é como uma peça de roupa apropriada e morna cobrindo a pessoa. Essa vestimenta tépida e amena confere imunidade a todo tipo de doença. A saúde depende da mansidão. Quando a perde, o homem começa a definhar e endurecer, e adoece facilmente. Onde quer que esteja, ele sempre vê o lado negativo. Carrega consigo seu descontentamento.

O ser humano sadio se distingue por conhecer bem as manifestações da Natureza e pela capacidade de lidar com elas. Por entender as leis do mundo físico, ele compreende também as do plano Espiritual e dá conta delas sem problema. Tendo vindo a esta Terra, o homem não está livre de influências: sua vida espiritual atua sobre a vida física e vice-versa.

Para saber se alguém é mais ou menos sadio do que você, encoste suas costas às dessa pessoa. Se a saúde dela for melhor que a sua, você ficará bem disposto; caso contrário, vai sentir fraqueza e abatimento mental.  

Uma das questões mais importantes para o ser humano é a saúde. Todo o mundo precisa ser saudável. Isso se relaciona com quatro condições: força da mente, benevolência da alma, luz do espírito e ternura do coração. Para desenvolver essas qualidades, é necessário conhecimento.

A saúde depende da Pureza interna e externa.

A fim de ser sadio e alegre, todos os seus sentimentos, pensamentos e ações devem conter a ideia da perfeita Pureza.

Para manter saúde e força, o primeiro requisito, para qualquer ser vivo, é conservar a pureza interna e externa. Ao falar de Pureza, referimo-nos a um processo contínuo.

As pessoas acham que podem comer qualquer coisa, pensar qualquer coisa, e ainda assim ser sadias. Não é possível. A saúde está relacionada com pensamentos e sentimentos límpidos, com alimento puro e bom.

Há algo que se requer do homem – sangue puro. Depurado, o sangue não permite o desenvolvimento de bacilos, e consegue enfrentar qualquer doença. As vibrações do sangue incorrupto são tão poderosas que as bactérias fogem.

Quando seus pensamentos, sentimentos e ações são puros, o ser humano não tem medo, não se perturba nem se aborrece. Não importa que doença venha, ele é invulnerável. Mesmo se adoecer, a enfermidade chega e passa, sem deixar vestígios. Qual é a razão para isso? Um sangue puro. Portanto, se você deseja resistir às doenças e sofrimentos, se pretende administrar seus conflitos internos com facilidade, purifique os pensamentos, sentimentos e ações. Essa é a chamada pureza interior. Ela está ligada à limpeza do sangue – que proporciona saúde, poder e boas condições de vida.

O indivíduo puro cria a seu redor uma atmosfera agradável e sã, que atrai as pessoas. Sem essa aura, ele repele todos em volta. Quando você vê alguém com o olhar de um vidente ou sensitivo, percebe uma irradiação de luz ao redor de sua cabeça, ou sente um calor delicado e suave perto dele. Isto é, a causa da saúde e boa disposição de mente deve ser encontrada no interior do homem.

Para ser sadio, você precisa viver de acordo com a Natureza. Ela lhe dá luz, ar, água e alimento.  Muitas coisas são necessárias para a saúde.

Enquanto há uma troca adequada entre as energias do Sol e as de seu organismo, você permanece saudável.

Tudo o que passa através do espaço se transmite por meio do ser humano. Ele deve conservar apenas o que lhe é necessário e, depois de usá-lo, deixá-lo livre para fluir novamente. A energia Divina não pode e não deve ser interrompida, precisa manter-se em constante fluxo. Isso acontece com a pessoa sadia, através de quem as energias Divinas transitam adequadamente.

A saúde depende do estado normal das células. Quando estas, sejam nervosas, musculares ou arteriais, preservam o tamanho original e cumprem com precisão seu papel, o homem é saudável. Se suas dimensões se alteram, e elas deixam de desempenhar sua função específica, advém a doença. 

A saúde está predominantemente ligada ao pensamento. O ser humano que conhece e aplica adequadamente as leis é saudável.

Seu pensamento é elevado e nobre, ele emana um calor e pulsação determinados e adota uma postura específica em relação a tudo. Uma atitude inadequada para com o ar impede a saúde.

Muitos perguntam por que ser bom. A resposta é muito simples: para ter saúde. O Bem e a Virtude são as primeiras condições para obtê-la.

A saúde física é extremamente influenciada pelas virtudes. O ser humano nobre não fica doente. Se começa a duvidar da Virtude, ele adoece. Do lado oposto, quando uma pessoa que está enferma acredita na Virtude, com certeza se curará. Ao nos afastarmos da Verdade, abandonamos a esfera da Virtude e abrimos a porta para o pecado, que desencadeia a doença e, depois dela, a morte.

Se, durante toda a vida, da infância aos anos da velhice, você não abrigar nenhum mau pensamento na mente, nenhum sentimento perverso no coração, e não realizar nenhuma ação maldosa, não há doença com poder para atingi-lo. Muitos micróbios podem passar por seu organismo, mas sua toxina será impotente.

Qualquer ideia ou virtude que você consiga pôr em ação contribui para sua saúde.

Só a pessoa paciente pode ser saudável, brilhante e alegre.

A expressão do estado de felicidade na Terra é a saúde – a primeira coisa em importância. Ela é necessária, e depende da relação fisiológica entre os órgãos. Se seu cérebro, pulmões e estômago funcionam adequadamente, você é saudável. Esses órgãos representam três mundos grandiosos.

O estômago é um transformador da energia que vem do alimento; os pulmões são conversores da energia oriunda da respiração e o cérebro, da que provém do mundo exterior. Por isso, quando o estômago envia a energia transformada para os pulmões, estes para o cérebro e o cérebro para todo o corpo, a pessoa é completamente saudável.

Não se exige muito para ser sadio. É suficiente saber fazer uso da luz, do ar puro, da água e dos elementos do pão. Recebemos tudo pronto, basta tomá-lo com alegria e gratidão. Esses sentimentos são métodos para utilizar adequadamente as bênçãos da Vida.

Lembre-se: a saúde depende da recepção e transmissão adequada de tudo.

Quando se fala de vida saudável e normal, isso significa adequação ao gastar as energias do organismo e ao absorver as do mundo externo, da Natureza Sensível.

Se você quer ser saudável, conserve o que Deus lhe deu. Mantenha a luz da mente, assim como o calor de seu coração. Isso é o importante, necessário para todo o mundo.

Quem deseja ser sadio deve pensar sobre pessoas que o são. De modo geral, você se torna o que pensa.

Para ser saudável, concentre a mente em Alegria e Felicidade.

A saúde depende de corrigir a atitude em relação a todo o mundo orgânico.

Se deseja ser sadio, trabalhe para livrar o organismo de todas as impurezas e excessos, de todos os depósitos e matéria gordurosa. Quando uma parte qualquer de seu corpo acumular gordura, comece imediatamente um regime espartano.

Seja cálido e cheio de luz como o Sol – essa é a condição saudável. Seja puro como a Lua. Desfrute das estrelas, que contribuem para o desenvolvimento de seus talentos. Alegre-se por ter a oportunidade de usar a energia delas. Deleite-se porque tudo no mundo funciona para você – jovem filho do Universo que representa o ensinamento prático dos Seres supremos e sensíveis. 

Alegre-se pela saúde do outro e você próprio se tornará sadio.

A lei é a seguinte: não pense em pessoas doentes – é só isso. Expulse da mente os pensamentos sobre pessoas enfermas. Concentre-se na Natureza saudável e em quem está sadio.

O ser humano de espiritualidade avançada não adoece.

Lembre-se: a saúde depende dos pensamentos e sentimentos. O pensamento correto relaciona-se com a grandiosa lei da Vida.

A pessoa de vontade firme tem saúde. Seu sangue é puro, suas mãos, pernas e costas são saudáveis. O corpo são é o resultado da vontade forte e esclarecida.

É necessário desenvolver a sensibilidade moral. Você só é fisicamente sadio quando tem consciência ética. Os sentimentos morais dão expansão e amplitude ao espírito. Geram também um alargamento dos vasos sanguíneos, o que torna a respiração livre e a circulação regular – eliminando as limitações.

Se quer ser saudável, respeite a seguinte norma: mantenha a cabeça fria e os pés, quentes. Conserve sempre certo calor na região do plexo solar.

As mãos e os pés devem ser cálidos, mas não quentes demais. Existe um tipo de calor agradável: aquele que o faz sentir algo bom ao tocar a mão de alguém. Essa é a temperatura normal do organismo. Se as mãos e os pés se aquecem ou esfriam mais que o necessário, é um mau sintoma. Eles precisam também ser um pouquinho úmidos. Secura ou umidade demasiadas, calor ou frio excessivos são estados anormais do organismo. Para ser sadio, conecte-se em pensamento com pessoas que não têm problemas nem indisposições.

Quando o ser humano está plenamente consciente, doença alguma o acomete. Contudo, a mais leve diminuição de consciência, a menor dúvida perturba o equilíbrio do corpo. No estado de consciência integral, o indivíduo é imune à negatividade: é coberto por uma capa magnética que o defende da doença e do frio. Então, nenhuma matéria alheia ao organismo consegue penetrá-lo; um filtro protege-o de impurezas.

Cuide do seu nariz. Guarde-o e respeite-o como um órgão sagrado. Quando ele está bem, você é são; os olhos, ouvidos e boca também funcionam bem. Em consequência, os pulmões, coração e estômago mantêm boas condições. Ao contrário, se o nariz tem algum tipo de problema, o organismo gradualmente se desagrega. Cuide desse órgão e não tenha medo. Ele é como um belo pico de montanha, onde são transformadas as energias do organismo. É preciso conhecer a importância do nariz, para valorizá-lo como a grande bênção da Vida.

É necessário ser absolutamente saudável física, espiritual e mentalmente para manter o equilíbrio interno,

Para conservar a harmonia do organismo, alimente o cérebro com pensamentos luminosos, o coração com sentimentos puros, os pulmões com ar limpo e o estômago com alimento puro e sadio. 

Conserve o Calor físico e o mental a fim de ser saudável.

No mundo físico, o homem precisa manter a temperatura normal do organismo – a saúde depende dela.

Quanto maior o tempo em que as imagens, pensamentos e sentimentos permanecem no rosto, mais saudável a pessoa. Pensamentos e sentimentos são os fios com cuja ajuda o homem tece a trama de sua vida.

As energias que mantêm a Vida são fornecidas por três elementos principais: a Luz, a Vida e o Amor. Isso vale para cada indivíduo. Para sustentar o organismo, ele pode absorver energia da Luz se conhecer seus princípios; da Vida, se a compreender; e do Amor, se o cultivar. São as três fontes principais das quais o ser humano obtém força, vida e saúde. Tendo-as dentro, ele alcançou a verdadeira felicidade na Terra.

Respirar, pensar e agir adequadamente são bênçãos grandiosas na Vida.

Quem é sadio? Aquele que tem pai e mãe sãos. Os filhos só podem ser saudáveis se os pais também o forem.

O homem moderno precisa familiarizar-se com as leis fisiológicas de seu organismo e saber do que depende a saúde, assim como a sensibilidade e o pensamento corretos.

Em vez de se ocupar com os estados patológicos do ser humano, os futuros cientistas deveriam estudar suas condições saudáveis.

As doenças mostram as diferentes maneiras pelas quais nos extraviamos da grandiosa vida Divina e do pensamento verdadeiro.

Seja sadio não apenas em sentido físico, mas também no mental. Quem é mentalmente enfermo? Aquele que se sente insatisfeito, duvida, não controla sua mente, coração e vontade.

Muitas pessoas são doentes. É necessário conhecer a origem de sua enfermidade – se é de natureza física, mental ou espiritual. Compreendendo sua gênese, é possível descobrir um meio de curá-la.

As doenças são dadas às pessoas para que adquiram humildade. Cada moléstia é uma tarefa específica, que o discípulo tem de resolver. Ele deve encarar cada uma delas como um privilégio especial. 

Se uma doença o atinge, não tenha medo, mas aplique o Amor em sua vida. Ele cura todos os tipos de enfermidade. Considere a moléstia como uma bênção que lhe é dada para que você se desenvolva.

As doenças são um barômetro. Com a ajuda delas, você avalia o que alcançou e o que ainda lhe falta. Enquanto está doente, agradeça a Deus e ore para que Ele o ajude a compreender suas insuficiências. As enfermidades representam o lado negativo de sua vida atual. Um dia, quando as administrar, você alcançará o lado positivo da Vida.

Não existe nenhuma pessoa absolutamente sã na Terra.

É necessário, mesmo para as pessoas mais saudáveis, que fiquem doentes. A enfermidade é harmonizadora. Quando Deus deseja tornar alguém mais sensível e terno, envia-lhe uma moléstia. As melhores pessoas sofreram de doenças. Quando você adoece, não pense nisso como uma desgraça.

Em seu corpo atual, é inevitável ficar doente. Para lidar com a doença, você precisa transformar o corpo.

A lei é a seguinte: quando o corpo sofre, é para benefício da alma.

A enfermidade está relacionada com o mal e a saúde com o Bem, mas tanto o mal como o Bem são forças inevitáveis. Eles agem em toda a Natureza – inclusive nos animais e plantas.

Quando uma doença aparece, trata-se de um teste. Se você não o suportar, virá outro sofrimento. Você bloqueia a doença com remédios e se cura fisicamente, mas não no plano espiritual.

A Natureza criou a doença a fim de obrigar as pessoas a se concentrar, olhar para si mesmas e pensar.

Por um lado, a saúde resulta do intercâmbio preciso de energias no organismo; por outro, depende da interação adequada entre as almas. A doença aparece quando há uma distorção da lei da permuta correta.

Se as partículas de matéria do organismo humano mantêm um inter-relacionamento justo, todos os órgãos se harmonizam e, em consequência, também os pensamentos, sentimentos e ações.

Cada célula, cada órgão representa números que incorporam certo tipo de energia. Essas energias precisam estar em sintonia; quando esta é perturbada, o organismo adoece.

Na parte frontal do cérebro existem tipos especiais de fibras brancas, pelas quais se manifesta a atividade da mente. A consciência conecta-se com o duplo, isto é, com o corpo etéreo do homem, o mediador das forças Naturais. O corpo físico vive graças a seu duplo. Se as relações entre ambos são corretas e harmoniosas, você se mantém saudável. Se o relacionamento é discordante, aparecem certos estados dolorosos. E vice-versa, quando um órgão adoece, a sintonia entre o duplo e o corpo físico se destrói. Portanto, se você quer curar-se, a primeira tarefa é restaurar a relação adequada entre o corpo físico e o espiritual.

A questão é: por que as doenças aparecem? Quando a pessoa contém em si impurezas, a doença vem como um vigilante da rua para lançá-las fora.

As enfermidades, sofrimentos e infortúnios não passam de bênçãos que Deus lhe envia e pelas quais você deve ser muito grato.

As doenças surgem periodicamente no mundo. Quanto maior a quantidade de crimes contra o Amor, mais crescem as moléstias e anormalidades da vida humana. Se você aplicar a lei do Amor aos lares, sociedades e pessoas, as enfermidades diminuirão imediatamente. Não falo do amor humano, mas do Divino, que eleva o espírito e resolve todos os problemas.  

Há uma diferença radical entre o corpo doente e o saudável. Em quê? Naquilo em que se empenham e na vibração das forças que os controlam. As energias que funcionam no enfermo destroem, ao passo que as que atuam no ser humano sadio constroem.

Qual é a diferença entre o indivíduo saudável e o doente? O doente não se alimenta porque não tem apetite; o saudável come às vezes mais e outras, menos. Quando o apetite de uma pessoa sã aumenta, isso é sintoma de um estado doentio. A pessoa sadia come moderadamente e com boa disposição, nunca demais, e seu estômago está sempre bem. Quem se excede na comida encontra-se em algum tipo de estado mórbido.

A pessoa sã é diferente da enferma inclusive no modo como respira. Sua respiração é rítmica, sem os roncos ou os ruídos de sufocação que se ouvem no doente. Pode caminhar por muito tempo sem ficar ofegante. Não sabe o que é uma dor de cabeça. Seu pensamento é calmo e equilibrado, sem tensão. Pode trabalhar constantemente, sem se cansar.

A doença é o oposto da saúde e vice-versa, a saúde é o contrário da doença. A doença tira algo do corpo e não lhe dá nada em troca. Quem esteve doente cedeu algo de seu organismo, com absoluta certeza. Portanto, aquele que ganha é saudável; o que perde está enfermo. Quem vive bem é sadio; quem não vive bem está doente.

Uma das características da saúde é a alegria. A pessoa saudável está sempre alegre, animada e disposta para o trabalho. O doente não tem ânimo, é insatisfeito e não tem vontade de trabalhar. Para ele, ou o tempo está ruim, ou as pessoas são grosseiras, e assim por diante. A doença o faz ver tudo de modo negativo.   

Não existe enfermidade na Natureza. Entretanto, as ações incorretas do homem geram certos acúmulos de matéria e energia que não são naturais. Incapaz de suportar esses excessos, o organismo adoece. O modo correto de vida consiste em discernir a quantidade de matéria que deve ser guardada em cada órgão. A Natureza não aprecia celeiros. Um único armazém é suficiente para o ser humano.

Quando a pessoa padece de alguma doença, o sofrimento ocorre na carne. Ao passar por ele, ela tenta compreender as leis da vida. Cada doença evidencia que alguma virtude está sendo transgredida. Uma dor nos olhos, na cabeça, no peito, no estômago, ou em qualquer outra parte do corpo mostra que está faltando algo ao órgão. Quando o indivíduo preenche a lacuna, recupera o estado de saúde.

Por que aparecem doenças? – Para que as pessoas se cultivem. A enfermidade é portadora de uma bênção. Nas condições atuais de vida, se não houvesse moléstias, as pessoas seriam ainda mais infelizes. A doença suaviza o caráter.

A Natureza reconhece a seguinte lei: quando todos os órgãos são sadios, o organismo também o é. Se um único órgão adoece, o corpo inteiro sofre. Essa lei se refere tanto ao mundo orgânico como ao mental.

As doenças apontam para a presença de parasitas na aura humana – os pensamentos negativos –, dos quais é absolutamente necessário livrar-se. Eles sugam a pessoa, que, portanto, precisa expulsá-los.

Um ser humano saudável é aquele cujos pensamentos, sentimentos e atos são normais. Nele, o pensamento, o sentimento e a respiração funcionam de maneira correta. Há abundância de energia em seu organismo. Acontece exatamente o contrário com a pessoa doente: ela carece de energia.

O que é a doença? – Matéria não organizada, energia desorganizada, pensamento desestruturado.

As pessoas sofrem modernamente de três tipos de enfermidade: moléstias físicas, que se referem ao corpo; doenças do coração, que afetam os sentimentos; e enfermidades mentais. As doenças físicas se curam de determinada maneira, as dos sentimentos de outra, e as dos nervos – de um terceiro modo. A medicina moderna ainda não conhece métodos para curar as doenças.

A vida flui continuamente no ser humano; às vezes o fluxo se intensifica e outras, fica mais fraco. Quando a Vida se debilita, a pessoa adoece. Quando se ativa, ela se torna sadia e contente. A saúde é uma medida da força de Vida que mana através dela; por isso é importante conservá-la.

Qual é a função das doenças? Quando o ser humano usa mal as forças que recebeu, a Natureza envia-lhe uma enfermidade para limitá-lo. A doença, portanto, não passa de uma obstrução temporária da liberdade do homem, ou dos seres vivos em geral. Indisposições e limitações são, portanto, condições doentias.

As enfermidades tornam o homem suave e delicado. Pessoas que estiveram muito doentes desenvolvem nobreza, gentileza e ternura. As que adoecem raramente, ou nunca, têm uma natureza rude, cruel. Não falo dos mentalmente doentes; essas são doenças de outra natureza, não têm caráter orgânico. A doença mental não enobrece o homem; ao contrário, torna-o amargo.

Saúde e doença são os dois polos da vida e duas condições diferentes do espírito humano. A saúde é um estado agradável e a doença, incômodo. Esses estados existem no mundo físico, no Espiritual e no Mental. Devem-se à existência de forças contraditórias. Significa que, quando duas energias opostas agem ao mesmo tempo, uma delas prevalece – tornando a pessoa sadia ou enferma.

Só quem esteve doente sabe o que isso quer dizer. A pessoa passa por experiências que o homem saudável não conhece. A saúde pode ser apreciada pela falta dela.

A doença não é algo horrível. É um método pedagógico. O que a torna tão ruim é a excessiva importância que lhe atribuímos. Quando o medo aparece, começamos a enfatizar tudo e pioramos nosso estado real.

Atualmente, as pessoas se preocupam com coisas insignificantes. Nem sequer suspeitam de que as doenças encerram certas bênçãos. Cada enfermidade é uma tarefa a ser solucionada. Se você a resolve, traz à tona todo o bem oculto na doença. Se se queixa, a bênção o abandona. Quanto mais reclama, mais as doenças o atingem.

Nem todos os estados doentios são enfermidades. Por exemplo, nariz escorrendo ou febre não são doenças, mas estados de purificação. O organismo se depura de depósitos e resíduos excessivos. Mas a febre amarela e o cancro [escrófula, tuberculose dos nodos linfáticos – N.E.] são doenças. Existem também moléstias mentais. Quem julga a si mesmo e não se corrige está doente.

Observou-se que crianças que adoecem com frequência tornam-se mais fortes, com maior capacidade de suportar. O Bem e o Mal no mundo são forças que sacodem e enrijecem o homem. O Mal representa as energias não moldadas, não organizadas – que produzem tudo. As forças do Mal são as raízes da Vida.

Alegre-se quando está doente e sofrendo. São condições para alcançar a Verdade.

Todo o mundo quer ser saudável, mas não sabe como chegar lá. O modo de pensar atual faz os doentes esperarem que as pessoas saudáveis cuidem deles e os sirvam em tudo. É um método equivocado. De acordo com o novo entendimento, é o enfermo que deve se sacrificar e servir ao saudável. Ao perceber que uma pessoa sadia necessita de algo, o doente deve levantar-se imediatamente da cama, atender o outro e voltar para o leito. Desse modo ele desperta suas energias vitais e se torna mais forte. Durante a doença, a pessoa pode fazer um bom trabalho, a saber: de um lado, aprende a rezar e, do outro, adquire certo esclarecimento. As enfermidades proporcionam sabedoria.

Falar do lado bom da doença não significa que o homem deva ser doente. Aliás, as doenças não são apenas físicas. Cada mau humor, cada angústia é um estado enfermiço que afeta o organismo. Nesse sentido, as doenças são visíveis e invisíveis, ou físicas e mentais. É muito importante buscar a maneira sensata de lidar com elas. Por mais instruído que seja um ser humano, ele pode, ainda assim, estar descontente, sentir falta de algo.  

 

(fim do capítulo II – Doença e saúde) 

(extraído do livro: The Master BEINSA DOUNO. Health and Sickness. Sofia: Vsemirno Bialo Bratstvo Publishers, 2002)


Tradução: Maria Eugênia da Rocha Nogueira 

e-mail: MARIAEUGENIARN@YAHOO.COM.BR

WhatsApp: (11) 9.9140.0649