Artigos e Notícias


Joel Filipe - unsplash

O corpo humano - Energias

23/05/2017

O CORPO HUMANO - ENERGIAS

O que é o corpo físico? É um condutor, isto é, uma grandiosa instalação das forças da Natureza. Através dessa instalação passam as duas espécies de energias naturais: eletricidade positiva e negativa, magnetismo positivo e negativo. Atualmente, nosso corpo não está fisicamente alinhado – alguns de nós somos positivos e outros negativos, isto é, uns têm mais eletricidade positiva, enquanto outros dispõem de mais eletricidade negativa.

O corpo em que não existe fluxo para dentro e para fora está morto. O único processo em andamento nele é a decomposição da matéria. No corpo vivo, a energia move-se continuamente para o interior e para o exterior.

O homem é como um triângulo equilátero, com um centro para o qual se dirigem todas as suas energias. Em outras palavras, é um composto de energias que visam a um centro comum; e vice-versa – uma combinação de energias que vêm desse centro e se distribuem em diferentes direções.

O ser humano é um acumulador, ou uma intersecção em que se encontram milhões de correntes cósmicas. Ele é essa junção. Em termos matemáticos, o homem na Terra tem uma das fórmulas mais complexas. Todo aquele que consegue resolver as relações nessa fórmula, cada um que seja capaz de traduzi-la em uma expressão geométrica, chega a uma ideia do que ele é.

O corpo humano em si representa uma bateria da Natureza – não uma pilha simples, mas uma complexa bateria. Dentro dela podem ser encontrados todos os tipos de energia.

Assim como a Terra, o ser humano tem dois polos – Norte e Sul –, que são depósitos de energia.

O duplo que envolve o corpo humano inteiro administra as energias que vêm de dentro e de fora, e as transforma. Se não consegue transmutá-las, surge na pessoa algum tipo de discrepância, origina-se uma série de estados desarmônicos.

Há duas correntes no homem: uma vai do umbigo para cima, e a outra, daí para baixo. Esta segunda corrente dirige-se para o centro da Terra, enquanto a primeira se orienta para o núcleo do Sol. Existe ainda uma terceira, que conecta as duas primeiras: é o que chamamos de aura. O segundo fluxo – o que parte do umbigo para o centro da Terra – é formado de todas as energias inferiores que o homem adquiriu durante sua passagem pelo estado animal. Ao estudar a estrutura do corpo humano, vemos que os dois primeiros fluxos abrangem, cada um, dois outros. Todos eles se combinam, um dentro do outro, e podem ser reconhecidos nos pensamentos e sentimentos.

Você é um foco através do qual passam tanto as energias solares como as terrestres. De manhã até o meio-dia transitam por seu corpo as energias solares, descendo do alto e se dirigindo para o centro da Terra. À tarde, o movimento se inverte: a energia terrestre move-se do centro da Terra, através dos seus pés, para cima, para o Sol. Por isso há tanta diferença entre exercícios matinais e aqueles realizados à tardinha. Algumas pessoas ficam com má disposição de espírito durante a tarde, porque nesse momento estão sendo atravessadas pelas correntes terrenas. Aprenda a polarizar e concentrar essas energias. Não as obstrua; quando o faz, você se bloqueia, e isso leva a desastres. Conduza essas energias para cima. À meia-noite vem outra corrente.

Há duas correntes, dois tipos de energia que fluem ao mesmo tempo. Quando vem a energia solar, ou seja, o fluxo do Sol, as folhas se desenvolvem bem, os ramos crescem – o desenvolvimento se dá em direção ao alto. Quando a corrente da Terra é mais forte, são as raízes que prosperam. Do umbigo para baixo, trata-se do homem físico: todas as correntes se dirigem para o centro da Terra. E quando elas prevalecem, a pessoa cria barriga; a energia é transferida para baixo.

Mas poderia ser ao contrário: é possível dirigir a energia do corpo para cima, rumo aos ombros. Nas pessoas em que existe essa transferência para o mundo Espiritual, os ombros tornam-se mais largos; quando a energia é transportada para o mundo Mental, é a cabeça que se desenvolve mais. Isso depende do gênero específico de correntes.

O cérebro é positivo, ao passo que o sistema nervoso simpático [vegetativo] é negativo. No lado esquerdo do corpo humano, a energia se move para baixo pela perna esquerda, então para cima pela perna direita, e daqui, pelo lado direito, para cima. Essa corrente eletromagnética é encontrada ao redor de cada órgão. Por exemplo, a energia positiva se movimenta passando pela sobrancelha direita. Dali ela se volta para baixo, debaixo do olho direito, onde se transforma em energia negativa. Desse ponto ela sobe para o olho esquerdo, onde se torna novamente positiva. Então vai para baixo, debaixo do mesmo olho, como energia negativa. Esse movimento energético forma algo como a figura do número oito. No ponto entre as sobrancelhas, a raiz do nariz, existe um centro consciente, que regula os fluxos ao redor dos olhos.

Há duas correntes de Vida, que têm seu reflexo também no homem: uma delas vai da cabeça para as pernas, e a outra em sentido inverso, das pernas para cima. Ambas formam um círculo ao redor do homem. Quanto mais claro o círculo, mais saudável e puro é o corpo. Se as linhas desse círculo forem contínuas, não interrompidas, a pessoa tem condições de realizar qualquer coisa.

Como os pés não conseguem receber a energia solar diretamente do Sol, eles absorvem energia do centro da Terra. Quando acolhe a energia terrestre, o ser humano torna-se corajoso, resoluto, e seu corpo é forte. Plantas e animais reconhecem esta lei e aplicam-na adequadamente.

O homem obtém energia vital de várias fontes: a comida, o ar, a água e a luz. Adquire-a também a partir de seus pensamentos, sentimentos e ações. Da perspectiva científica, a tarefa humana é aprender a se alimentar, beber água e respirar adequadamente. E ainda: pensar, sentir e agir de maneira correta. Estes são processos vitais e conscientes, ligados às energias vitais da Natureza, que determinam o desenvolvimento do homem e seu futuro.

Você sabe que há um oceano de energia oculto no espaço? Do mesmo modo, seu cérebro encerra uma energia imensa, que necessita de tempo e espaço para se realizar.

O homem precisa compreender as leis que movem a eletricidade e o magnetismo vital, chamados de prana pelos hindus. A medula espinhal é seu principal receptor e transmissor. Primeiro o prana se move em direção ao cerebelo e daí para o cérebro. Se aparece algum bloqueio no cerebelo, ele não pode continuar o caminho até o cérebro e, em consequência, instala-se uma desarmonia – que se espalha por todo o organismo.

Se se acumulou uma grande quantidade de eletricidade em determinada região de seu cérebro, você pode ajudar-se sozinho. Se for, por exemplo, no hemisfério direito, você não deve tocar esse lado da cabeça com a mão direita, pois isso reforçaria a condição ruim; em vez disso, afague o lado direito da cabeça com a mão esquerda. E vice-versa: se o excesso de eletricidade é no lado esquerdo, acaricie-o com a mão direita. Fazendo isso, você sentirá alívio e perceberá melhora. Durante o verão, quando o Sol brilha quente sobre sua cabeça, passe as duas mãos no cabelo: elas retiram parte da eletricidade do cérebro, evitando a insolação.

O homem sábio não comete pecado. Por quê? – Porque em sua vida as correntes de energia se intercambiam regularmente. Por exemplo, a energia de seu cérebro se move como uma espiral, passando gradualmente de um hemisfério para o outro.

A primeira coisa que você sente quando seu pensamento se cinde e se torna desarmônico é uma pressão no osso temporal. Fica, então, tomado pelo sono, por um estado hipnótico e de torpor. Isso prejudica o sistema nervoso.

Nunca atraia sua energia para o osso temporal. Nessa região ela se conecta com o estômago. Quando você a conduz pelos ossos temporais, ela atua sobre o estômago, que abrange milhares de gânglios. Assim você se enfraquece, esgota sua energia e se desmagnetiza. Depois, sentirá um vazio no cérebro. Envie a energia sempre para a parte superior da fronte, nunca a deixe na parte de trás da cabeça.

Quando uma pessoa está sempre pronta para brigar com todo o mundo que encontra pelo caminho, isso é um sintoma de que o hemisfério direito de seu cérebro tem eletricidade em demasia. Se alguém se sente indisposto e se entrega ao pessimismo, é o hemisfério esquerdo que está com acúmulo de eletricidade.

Irritar-se torna seus movimentos desgraciosos. Cada momento de irritação gera um dispêndio excessivo de energia nervosa, que leva o sistema nervoso a se esgotar; esse esgotamento torna a pessoa extremamente suscetível.

Conserve o sistema nervoso e não gaste energia desnecessariamente: assim poderá suportar qualquer coisa na vida.

Cada energia que o organismo não assimila adequadamente produz algum tipo de excesso. A raiva é um deles.

Quando o ser humano tem muitos desejos que não consegue satisfazer, parte da energia disponível para essa satisfação fica sem uso. Essa energia é a causa da raiva.

Em algumas pessoas, há excesso de energia acumulado nos centros ao redor das orelhas. Se o sangue é levado a fluir para esses centros, a pessoa imediatamente explode. Recomenda-se que ela cave o solo e dirija parte da energia para a Terra.

Há momentos em que o homem recebe mais energia do que é preciso; em outros, é o contrário, ele emite demais. Ambos são extremos, que têm influência desfavorável sobre o organismo. A Natureza gosta de ordem e organização, e por isso ela propõe: “Tome aquilo de que carece e dê o que for necessário”.

Em seu organismo não deve haver excessos, mas apenas a energia que lhe faz falta. O excedente precisa ser devolvido à Natureza.

Não acumule energia demais no cérebro. Isso quer dizer: não carregue consigo riqueza desnecessária, porque os ladrões irão atrás de você. Não deixe o pote de mel aberto, pois as abelhas o seguirão. Não ofereça pão de graça a todo o mundo, porque as pessoas vão acompanhá-lo. Não cure todo o mundo sem pedir nada em troca: você se verá constantemente rodeado pelos outros. Não é fácil lidar com ladrões, com famintos ou enfermos.

Como o cérebro está conectado com todas as partes do corpo, qualquer polarização em seus centros se reflete no órgão correspondente, que, de algum modo, participa do armazenamento de energia. Por isso, busque uma maneira de transferir a energia acumulada no organismo de um centro para outro, ou de um para outro órgão.

Empenhe-se em controlar a energia cerebral e não a gaste desnecessariamente. Tudo que é vivo na Natureza luta por energia. Quem consegue armazenar mais energia cerebral tem maior capacidade de pensar, sentir e agir. Quando desejar beneficiar-se das energias da Natureza, absorva-as diretamente da Fonte e não indiretamente. Por exemplo, para usar a energia solar, saia e receba-a diretamente do Sol, não através de vidros e lentes.

As pessoas estão interligadas de maneira invisível, o que as afeta. Influenciam-se uma à outra, consciente ou inconscientemente. O ser humano emana uma energia dinâmica especial, que se reflete também sobre aqueles que o rodeiam.

As pessoas são como vasos comunicantes: a energia flui de uma para a outra como os líquidos nesses vasos.

Cada um pode servir de catalizador para despertar as energias positivas ou negativas de outra pessoa, independentemente de as ter transmitido pessoalmente.

A fim de perceber e emanar adequadamente sua energia e as da Natureza, mantenha todos os órgãos em boas condições. Mesmo o cabelo, que muitos acreditam não ser importante, precisa ser bem cuidado para não cair.

Os seres vivos são portais transportando energia. As energias mais altas passam através do mais elevado deles – o ser humano.

A tarefa dos animais é incorporar magnetismo. Enquanto eles permanecem sadios, as pessoas também se mantêm saudáveis; quando eles começam a ficar enfermos, o ser humano adoece. Precisamos ser amigáveis com os animais, a fim de podermos beneficiar-nos das energias magnéticas que armazenam.

A devastação das florestas e o assassinato dos mamíferos acarretam grandes sofrimentos às pessoas, para os quais não conseguem encontrar alívio. Elas sequer imaginam que os animais e plantas são um reservatório de energia vital para o crescimento e desenvolvimento humano. Quando os mamíferos são exterminados, sua energia vital é dispersada no espaço. Como o ser humano não é capaz de entrar em contato diretamente com as energias da Natureza, priva a si mesmo das energias vitais que seriam recebidas dos animais.

As montanhas são reservatórios de energia, que ajudam as pessoas a transformar seu estado mental.

O trabalho físico é um método para discernir as energias da Terra – que são sentidas através dos pés.

Há uma coisa que aprecio nas danças de roda búlgaras: rapazes e moças saudáveis geralmente tomam parte nelas, e cada um procura juntar-se com quem ama. Não se una a uma pessoa que não seja sã. A pessoa sadia transmite energia, e a que não o é a absorve.

Grande número de seres vivos no mundo físico encontra-se em um baixo nível de desenvolvimento e, em consequência, busca obter energia daqueles que, comparativamente, têm um nível mais alto. Quando se encontram pelo caminho com os mais adiantados, tentam por todos os meios conseguir sua energia, fazendo-os sentir-se exaustos. Quando você se sente esgotado, entre em contato com o mundo sublime, para absorver-lhe a energia e se preencher. Não importa o que faça, é impossível permanecer livre da influência do mundo inferior. Assim, às vezes, seres que estão abaixo de você em desenvolvimento captam sua energia; em outros momentos, é você que a absorve de outros. Ou seja, enquanto o ser humano está conectado com a Terra, a perda de energia é constante. Se ele entra em contato com o Sol, obtém energia dele e rejuvenesce.

Aprenda a distinguir exatamente a quantidade – e o tipo – de energia que recebe de cada fruto, de cada pensamento e sentimento. A energia dos pensamentos e sentimentos humanos se transmite inclusive através do espaço – nada pode limitá-la. Em relação a isso, quanto mais consciente é um ser, mais rapidamente viajam seus pensamentos e sentimentos.

Quando as vibrações de dois corpos são diferentes, o que dispõe de vibrações mais elevadas afeta aquele em que elas são inferiores. Se dois corpos de vibrações idênticas se encontram, estabelece-se completa harmonia.

Existe na Natureza a lei do respeito aos direitos de todos os seres vivos. De acordo com ela, você não tem direito de guardar mais energia do que é capaz de assimilar. Se o faz, o excedente produz certa pressão sobre seu organismo.

Como podemos reconhecer que temos magnetismo? Quando estamos de bom humor, isso aponta para a presença de energia magnética. O mau humor e o nervosismo mostram sua carência – é o magnetismo que determina a disposição do ser humano.

As pessoas que não se resfriam dispõem de muita energia magnética.

Quanto mais elevado um ser humano, mais luz ele emana. Diz-se que essa pessoa é magnética, ela influencia a mente e o coração de quem está ao redor. Em sua presença, mesmo as pessoas mais agitadas e nervosas se acalmam. O magnetismo é uma corrente que flui livremente, independente do homem. Ele não deve ser bloqueado. Quem pode impedir a corrente magnética? – A pessoa má e impura.

O magnetismo é dado naturalmente. Quando o organismo é destruído, ele vaza. Não permita que seu magnetismo se escoe. Pensamentos, sentimentos e ações corretos são o modo de restaurar nossas energias magnéticas.

Quando fica nervoso, você perde o magnetismo, ele escorre de você. Nada perturba uma pessoa que dispõe de energia magnética, ela é calma. Sentir-se inquieto e transtornado – isso é desmagnetização. Próximo de alguém magnético, você se tranquiliza. Você ficaria nervoso estando na própria fonte? A energia magnética não é estática no homem; ela vem e vai. Por isso, é preciso trabalhar para adquiri-lo, para ter boa disposição. Em primeiro lugar, não se sinta insultado nem ofendido.

Na parte da frente do cérebro é a eletricidade que está ativa e, na parte de trás, o magnetismo. Desse modo as energias do organismo humano se equilibram e a pessoa pensa adequadamente e desfruta de boa saúde.

Os diferentes elementos trazem energias distintas ao organismo. Por exemplo, o ouro introduz um tipo de energia, a prata, outro, e o ferro, um terceiro. Podemos ver que as pessoas diferem de acordo com a diversidade e quantidade de espécies de matéria e energia.

Quando você estuda a aparência externa do ser humano, vê que seus dois lados, o esquerdo e o direito, se distinguem. A diferença aparece nos olhos, orelhas, narinas, boca, lábios, braços e pernas. Um olho é positivo e o outro, negativo; um braço é positivo e o outro, negativo; o mesmo vale para as pernas. Assim, o homem tem um lado positivo e um negativo, que se equilibram mutuamente.

Mantenha o fogo sagrado interior, para não se tornar grosseiro física nem espiritualmente. A rudeza física começa com a aspereza da pele. No mundo físico, a pele é condutora das energias vitais da Natureza. Quando perde a suavidade, as correntes de energias vitais se distorcem e a pessoa fica doente.

A mão humana tem grande valor. O homem manifesta sua força de vontade por meio dela, e também com ela percebe as alterações que têm lugar na Natureza. A mão é um aparelho de rádio pelo qual o homem pode se dar conta das mudanças que estão ocorrendo na atmosfera. É suficiente erguê-la em direção ao Sol e fechar os olhos para saber como será o tempo durante o dia – se vai chover, se haverá vento e assim por diante. O braço humano é uma antena, que recebe e transmite as energias da Natureza.

Cada dedo emana uma energia cósmica específica. Cada um conduz uma energia especial, uma corrente característica.

Em uma pessoa com dedos afilados ocorre grande efusão, um grande gasto de energia. Quanto mais rombudas as pontas dos dedos, menos energia vaza deles. Pessoas com dedos pontudos são nervosas e dinâmicas. Sua mente é rápida, capta as ideias imediatamente.

Qualquer que seja a posição de suas mãos, sempre existe um escoamento de energia, mas, quando você as junta, as energias da Natureza são usadas de modo mais razoável. Se um ser humano mantém as mãos fechadas por muito tempo, pode ocorrer algum bloqueio. O melhor modo de se dar as mãos é tocar apenas as pontas dos dedos. Mãos fechadas apontam para um fechamento na alma, algum tipo de perturbação. O aperto de mãos mais natural consiste em tocar mão direita com mão direita. Assim as correntes fluem adequadamente.

Quem cruza as mãos e as pernas é como uma bateria isolada.

O lado superior da mão acumula eletricidade positiva, e por isso tem pelos. O lado de baixo – a palma – é passivo e armazena eletricidade negativa.

A palma da mão esquerda é o lado negativo do homem, que transmite vibrações suaves, magnéticas. O dorso da mão esquerda é positivo, isto é, elétrico. A mesma coisa vale para a direita. Isso significa que há dois tipos de eletricidade e dois tipos de magnetismo no homem. O primeiro tipo de eletricidade e magnetismo flui da mão esquerda e o outro, da direita.

Agora vamos fazer um exercício – mover as mãos de maneira vibratória. As mãos representam dois canais de energia que se desenvolvem no corpo humano; nele existe uma corrente comum, formada quando se juntam a corrente negativa da parte direita do corpo, e o fluxo positivo do lado esquerdo. Às vezes, as pessoas juntam as mãos, permitindo que ocorra uma troca entre elas e as energias que vêm do Sol e da Terra. Com esses movimentos e vibrações das mãos, equilibramos as duas correntes.

Outro exercício: ponha as mãos em frente à boca como se fosse rezar. Acalme-se e se coloque de modo a que nada lhe ocupe a mente. Sopre calmamente dentro das mãos como para capturar o que sai de sua boca (3 vezes). Esse modo de respirar regula o fluxo magnético. As mãos são as duas correntes de uma bateria única e cabe a você colocá-las em posição para regular esses fluxos. Se você mantém as mãos frouxas, soltas, sempre será fraco. Se deseja ter contato com as Forças Sensíveis da Natureza, torne rijas suas mãos. Para se conectar com as correntes terrenas, alongue braços e pernas, os músculos de todo o seu corpo, apenas por um par de segundos; isso imediatamente regulará as correntes em você.

As mãos são linhas de força através das quais flui a energia da vida. Se você acredita, você conecta sua mão com a Natureza Viva e essa energia vital passa por cada um dos dedos.

Cabelos, barba e bigode representam o reino vegetal no homem. Por isso, ele deve cuidar para não ficar calvo.

Os pelos funcionam como reguladores de energia do organismo e, portanto, da circulação sanguínea. Cada fio de cabelo ou pelo é uma força dinâmica, que contribui para a difusão do sangue pela superfície do corpo. Se todos os pelos forem extraídos, o ser humano se deparará com grandes desastres. Eles são tão necessários para o homem quanto as plantas para a Terra.

Quem tem cabelo mais espesso e mais escuro dispõe de maior energia.Os cabelos, que a Natureza deu ao homem, são antenas por meio das quais ele pode entrar em contato não apenas com os lugares mais remotos da Terra, como também com outros planetas. Isso significa que, através deles, é possível receber as vibrações do Sol, da Lua e de Marte, de Vênus e Júpiter, e conectar-se com eles. Os pelos não captam as vibrações do mesmo modo, assim como os dois olhos não recebem a luz igualmente. Um dos olhos a absorve melhor que o outro. Os dedos também têm diferentes capacidades perceptivas. O corpo inteiro é um composto de muitas antenas – que captam inúmeros pensamentos, sentimentos e desejos.

Quando os cabelos se tornam mais espessos, enviamos mais energia do que conservamos. Por isso, pessoas com cabelos mais espessos são mais toscas. Por quê? Porque lhes falta energia. O cabelo fino poupa energia. Ele deve também ser macio; se não o é, não pode transmitir energia.

O ser humano precisa saber como distribuir sua energia por todas as partes do corpo. Por exemplo, às vezes o cérebro armazena mais do que o necessário. Com isso, a distribuição entre as diferentes partes do órgão é desigual, e a pessoa tem uma sensação de opressão. Quando há maior energia na parte de trás do cérebro, temos determinada disposição; quando ela está mais concentrada nas têmporas, o estado mental é outro. Se a acumulação ocorre atrás das orelhas, haverá ainda outra disposição. O discípulo precisa estudar por muito tempo a fim de se tornar capaz de repartir adequadamente a energia por todo o seu organismo. Trabalho e exercício são necessários para adquirir conhecimento. Ele não é obtido facilmente. A mesma lei de equilíbrio das energias refere-se também aos pensamentos e sentimentos. Todos os processos espirituais que acontecem com o homem têm equivalentes físicos no organismo. Existe completa harmonia entre as atividades espirituais e físicas.

Dentro do corpo há energias que não são controladas pela vontade e temos de aprender a regulá-las. Todo o mundo deveria conhecer essas leis porque a falta de entendimento delas pode provocar colapso.

Ordene adequadamente as energias de seu organismo. Distribuí-las de modo impróprio pode causar-lhe uma série de sofrimentos.

Há no homem pensamentos com uma poderosa eletricidade, que gera grandes dissociações no sistema nervoso. Essas cisões gradualmente destroem o organismo. Não permita a entrada de pensamentos que fraturem o sistema nervoso.

Para ser física, mental e emocionalmente saudável, é preciso saber como ajustar as energias do cérebro e do sistema nervoso simpático [vegetativo].

Quando você se entrega a questões espirituais, ocorre um acúmulo de energia e podem manifestar-se estados perigosos. Por exemplo, o homem espiritual torna-se imensamente sensível e tudo o afeta. Seu duplo etérico se alonga para fora e seu corpo astral se expande, de modo que ele começa a se queixar de que não consegue suportar a influência de outras pessoas. Estude a lei que lhe ensina a voltar para o interior. Quando a dominar, não deixe seu duplo ir para fora. Onde há influências harmoniosas você pode se estender tanto quanto deseje, mas, se estiver em condições desfavoráveis de vida, retraia-se.

A aura é um círculo de cor, tamanho e espessura específicos, que determina a mentalidade do ser humano. Ela é visível? Para algumas pessoas, é; para outras, não. No meio da aura, existe um centro a partir do qual as energias fluem para fora. As energias superiores estão conectadas com as capacidades mentais do homem, enquanto as inferiores estão ligadas ao emocional. As energias superiores são os senhores, e as inferiores, os servos.

Como discípulos, a primeira coisa importante é aprender a controlar o cérebro. Absorva as energias da Natureza, dirija-as para o plexo solar, o coração, a garganta, a testa, a parte de trás da cabeça, o alto do crânio, e então distribua tudo pelo corpo. Comece a tomar duchas magnéticas, até que uma leve aura magnética se forme em volta de seu corpo; então você se sentirá livre.

A aura humana é um limite natural. Ninguém tem o direito de penetrar sem permissão na aura de outra pessoa. Se alguém vem a você, deveria sentar-se a uma distância de 50 a 70 centímetros. Se a pessoa não respeitar essa distância e chegar muito perto, isso provocará desarmonia na relação, em virtude da troca imprópria de energia entre vocês. O indivíduo sensível percebe que a relação não é adequada e começa a sofrer. Quando um professor fala com os alunos, eles se amontoam ao redor dele, as cabeças ficam próximas, mas aí a troca não é incorreta. Por quê? – Porque a atenção de todos está concentrada em um tema comum. Mas se duas pessoas com pensamentos contraditórios ficam a menos de 50 centímetros uma da outra, ocorre uma colisão. Suas auras se entrelaçam e o intercâmbio é inadequado. Assim que sentem essa discrepância, elas se vão. Não ultrapasse a barreira sagrada que a Natureza estabeleceu.

As energias das correntes magnéticas movem-se ao longo de linhas curvas, que circulam de maneira espiralada e desenvolvem altas temperaturas. A saúde depende em grande medida de seu fluxo pelo organismo. As correntes elétricas se movimentam predominantemente ao longo de linhas retas. O homem precisa compreender as leis a fim de ser capaz de lidar com a quantidade excedente de eletricidade e magnetismo no corpo – as duas forças que agem no interior do organismo. A luz e o calor funcionam a partir delas. Essas forças são mutuamente polarizadas e, para conseguir transformá-las conscientemente, é preciso conhecer as leis de seu movimento.

A tarefa de se desenvolver inclui coordenar os próprios órgãos e forças naturais. Por exemplo, aprenda a regular a temperatura e a luz em seu interior. Quando a luz interna diminui, a temperatura deve aumentar. Quando a luz cresce, a temperatura deve cair. Com o pensamento o homem ordena as energias da luz, com o coração as energias do calor e, com a vontade, os resultados alcançados com a luz e o calor.

Se o sistema do estômago [digestivo] é desenvolvido demais, a pessoa não consegue resistir às tentações e age imoralmente – come e bebe muito. Não é capaz de transformar a energia física em espiritual.

Quando as energias mentais prevalecem, aparece o desejo de adquirir fama. Para não sucumbir à vaidade, é preciso saber transformar as energias do cérebro. De modo geral, as energias de todos os mundos devem ser adequadamente transmutadas e não deixar depósitos.

O ser humano deve ser espiritual, mas, ao mesmo tempo, também material. É importante conservar completa harmonia entre suas duas naturezas. Sabendo disso, ele não deve negar nem a vida material nem a espiritual. Ambas precisam complementar-se e manter o intercâmbio adequado.

Empenhe-se em aplicar ao corpo, ao cérebro e ao coração as energias sublimes e estáveis que a Natureza usa para o desenvolvimento humano. Somente elas têm o poder de elevar e regular o plexo solar. Do mesmo modo, o sistema nervoso simpático [vegetativo] deve estar em boas condições. Quando sentimentos desagradáveis e amargos penetram em seu coração, almeje ardentemente ver-se livre deles. Eles afetam negativamente o fígado, cuja função fica perturbada.

Se sua cabeça acumula excesso de eletricidade, você terá um estômago magnético. Toda a energia do cérebro se transformará em magnetismo no estômago. Quando acumula eletricidade, o estômago adoece. Se a eletricidade é demasiada, a energia do cérebro precisa ser transformada em magnética.

A pessoa muito curva retorna gradualmente ao estado animal. Para não cair nessa condição, é necessário manter-se ereto, com a coluna vertebral na posição natural. Faça exercícios para conservar a espinha reta (apoie-se em uma porta, por exemplo), de modo que as correntes de seu organismo fiquem alinhadas com as energias da Natureza. Existe no homem um fluxo que desce do Norte para o Sul. Entre os dois polos se movimentam as energias da Natureza. Essa corrente precisa ser regulada para que o movimento seja correto. Mantenha a cabeça sempre ereta.

Quando existem dois pensamentos harmoniosos, um deles é sempre positivo e conectado com os fluxos frios da Natureza, e o outro carrega energia negativa e se liga aos fluxos quentes. Enquanto o homem se move entre os dois, está bem e saudável: correntes frias se formam em um dos hemisférios de seu cérebro, ao passo que no outro se estabelecem correntes quentes, magnéticas. Quando a cabeça se aquece, o homem cai em um estado mental doloroso. Para restaurar a saúde, é preciso promover uma separação, a fim de constituir correntes diferentes nos dois hemisférios. Adquirido esse estado, o sangue começa a circular adequadamente e a pessoa volta a sentir-se sadia.

Mantenha em mente que a escola Oculta é perigosa em um sentido: quanto às energias. O risco deriva da estrutura de nosso corpo físico. O sistema nervoso é uma rede; os centros cerebrais são instalações, acumuladores de ideias. Há casos em que a vibração dessas ideias é tão alta que, quando o cérebro as capta, observa-se na rede uma inflamação súbita, a total exaustão ou uma sensação de ardência.

Cada ser humano é semelhante a uma pilha da qual emanam raios mais espessos ou mais finos. Quem não é capaz de assimilá-los os sente como um alimento difícil de digerir, que provoca dor de cabeça ou outro tipo de transtorno. Os búlgaros costumam dizer, nesse caso, que a pessoa está enfeitiçada. Não se trata de feitiço, ela apenas está se deparando com duas correntes de energias opostas, que estão em desarmonia. Quem consegue ver bem no próprio interior e no exterior administra facilmente esses fluxos – consegue percebê-los e senti-los de longe e, assim, pode evitá-los.

Quanto mais intensa a energia de nosso organismo, mais benéfica ela é. Quanto menos intensa, mais nociva.

Existem neste mundo pessoas puras e santas, das quais emana um poder interno específico, que sustenta como o alimento físico. Seria possível ficar ao lado delas por um par de dias sem pensar em comer ou beber. Isso mostra que há diferentes maneiras de se nutrir.

Se dois amigos se sentem ligados, seus corpos astrais se conectam: a energia de um é transmitida ao outro, e vice-versa. Quando um adoece, o mesmo acontece com o outro. Quando uma mulher ama o marido e ele morre, ela o segue. Ou se um homem ama muito a esposa, também acaba falecendo pouco depois dela. Isso acontece quando a relação entre as pessoas é de profundo amor. O que fazer quando nos sentimos abalados e mentalmente confusos? – Toque a orelha com os dois dedos de sua mão direita e comece a pensar. Em um ou dois minutos você se sentirá de algum modo recuperado, graças ao intercâmbio adequado entre as energias mentais e emocionais. A estagnação das energias vitais do organismo se deve à circulação incorreta do sangue. Essa estagnação interrompe a função de pensar. Sabendo disso, considere a orelha e o nariz como lugares sagrados – condições para a percepção e transmissão correta de energias.

Ao ficar doente durante longo tempo, a pessoa perde parte da energia vital. Para corrigir essa situação, toque de vez em quando a parte inferior, carnuda, da orelha com dois dedos, e puxe-a levemente para baixo. Então massageie o osso atrás do ouvido e observe as mudanças em seu organismo. Faça esses exercícios não apenas quando estiver doente, mas também quando se sentir espiritualmente abalado.

(extraído do livro: The Master BEINSA DOUNO. Health and Sickness. Sofia: Vsemirno Bialo Bratstvo Publishers, 2002)

Tradução: Maria Eugênia da Rocha Nogueira 
e-mail: MARIAEUGENIARN@YAHOO.COM.BR
WhatsApp: (11) 9.9140.0649