Artigos e Notícias


A LEI DA JUSTIÇA DIVINA

25/06/2020

A loucura da guerra havia engolido as nações. Sobre a terra, a opressão e a violência vagavam por toda parte. Tudo estava em desordem – confuso e ameaçador. Como resolver isso? Muitos rostos angustiados voltavam-se para o Mestre. À tarde, retomamos a conversa sobre a situação internacional

O Mestre explicou:

Todo o mundo contemporâneo está construído sobre uma base falsa. Cada nação é parte de um organismo uno: a humanidade. Cada uma desenvolve virtudes e capacidades específicas. Cada uma representa um elemento da Natureza e, por isso, tem sua própria missão no mundo. Cada nação recebe energias cósmicas específicas, transforma-as e as transmite às outras. Por essa razão, cada uma teve seu lugar e significação ao longo da existência da humanidade. Cada país deve dar à luz a uma ideia que beneficie todos os seres humanos. 

Atualmente, as pessoas acham que elas são os únicos fatores que contam, que tudo depende delas. Não é verdade. Existe um fator Divino que está sendo negligenciado. Uma Lei estabelece: cada ato de governo precisa ter Aprovação Divina, isto é, deve reconhecer o Divino no mundo. Cada nação e cada ser humano deve acatar a Justiça Divina na terra. Além disso, ela exige que respeitemos todo e qualquer ser, protegendo seus direitos e provendo a cada um todas as condições necessárias para seu desenvolvimento. Não danifique a pequena flor! Quando você lê um livro, costuma rasgar suas páginas? Cada ser da Natureza é como uma letra nas páginas do livro. Não apague sequer uma letra, nem uma única palavra do Livro, porque o significado se perderá. 

Cada violação da Justiça Divina tem suas implicações. Isso é verdade tanto para a vida individual como para a coletiva. Nenhum secretário de Estado, nenhum político está dispensado dessa Lei. Você sabe quais são as consequências que esperam um governante que age injustamente? Quando morrer, ele reencarnará como um boi e será levado para o matadouro. Tão logo seja morto, entrará em outro bovino, que também será abatido. Depois encarnará em um coelho, que igualmente será morto. Ele se lembrará muito bem disso tudo.

Quando voltar novamente à Terra como ser humano, dirá: “Você já foi um boi que foi abatido, ou um coelho que levou um tiro?” Depois disso, nunca mais infringirá a Lei da Justiça Divina. 
Há na Natureza a seguinte Lei: cada nação que executa representantes de outra, privando-os assim de seu corpo, precisa, depois, oferecer-lhes um novo corpo. Ou seja, as pessoas executadas reencarnarão nesse país. Os judeus que foram massacrados pelos alemães reencarnarão na Alemanha, mudando radicalmente o espírito do povo alemão. As nações precisam ser preparadas para a aplicação das Leis Divinas. São necessários políticos inteligentes que ponham em prática no mundo as Leis Divinas, em vez de criar outras leis. 

Todas as nações se tornarão mais prudentes, porque a Lei agora vem da direção oposta. Estadistas inteligentes são necessários, a fim de que os muitos infortúnios e a grande adversidade que as nações sofrem possam ser evitados. Entretanto, como isso não está acontecendo, Deus agora se move no sentido oposto. As nações estão ficando inteligentes e não esperarão que seus líderes se tornem mais sensatos. 

Se você seguir o caminho do Novo Ensinamento, descobrirá o método para pagar suas dívidas antigas. A força desse Ensinamento reside em sua capacidade de quitar todos os débitos. Se você o aceitar, não restará nenhuma dívida em aberto. Quando digo ‘velhas dívidas’, refiro-me ao carma. As nações europeias sofrem por causa de seu carma, vivem sob seu peso. Quando uma nação ouve as ideias da Fraternidade da Luz, ela prospera. Se não lhes dá atenção, não consegue ir para a frente. Isso vale também para a Rússia. Se os russos escutarem atentamente as ideias da Fraternidade da Luz, eles progredirão. 

A tendência atualmente é em direção à unidade das nações. Todas precisam unir-se. Além disso, é preciso levar em consideração o bem-estar da totalidade dos povos – e não apenas do próprio. Uma Lei estabelece: em cada nação existe algo bom. Quando elas se juntam, essa qualidade benéfica flui para todas as outras. As características positivas que os britânicos, alemães e russos possuem circularão entre as outras nações e emergirá uma nova corrente vital. O vínculo entre os países dará origem ao novo ser humano, o novo caráter humano. 

O nacionalismo se tornará obsoleto e findará; não se promoverá ódio entre países. Referir-se a uma ‘uma grande nação’ não é correto. Um país deseja ser grande a fim de dominar os outros – é uma ideia da velha cultura. Uma nação não deve ter o propósito de ser grande, de território extenso. Como todas as nações fazem parte de um único organismo, uma nação excessivamente grande é como uma perna hipertrofiada. Então fica uma perna bem desenvolvida, enquanto a outra permanece curta. Isso resulta em um corpo anormal – o que causa atrito, sofrimento e disputas. 

A Rússia é o elo entre o Oriente e o Ocidente, o mediador entre Europa e Ásia. Esta é uma de suas missões. O que idealizamos nela é a Luz que provém das Forças do Amor e Luz. Os búlgaros precisam conectar-se com a Rússia e também com as outras nações. Cada nação deve servir a Deus. Este é o novo no mundo, é o futuro de todos os países. O povo que não serve a Deus pagará por isso. A nação búlgara não foi enviada para trabalhar pela grandeza da Bulgária, mas para cumprir a Vontade de Deus, para servi-Lo. Não vão mais existir a grande Sérvia, a grande Bulgária, a grande Rússia, a grande Alemanha, a grande Inglaterra, e assim por diante. Não existirá nenhum grande poder; haverá nações que servem a Deus e obedecem a Suas Leis. Cada povo que serve a Deus terá Sua bênção. Receberá grande abundância, e se tornará avançado. 

O que significa servir a Deus? Quer dizer o seguinte:
- Aplicar os Princípios da Justiça Divina. 
- Abster-se de violência. 
- Participar da cooperação mútua entre as nações. 
- Servir, em vez de dominar. 
Não é a quantidade que engrandece uma nação, mas a qualidade. A nação que não quiser fazer a Vontade de Deus será privada de sua riqueza e desaparecerá da Terra. 

A grandeza de um povo está em seu serviço a Deus. Aí ele é forte e nenhum outro poder é capaz de desafiá-lo. Ele será sempre vitorioso, em qualquer circunstância. Terá à disposição as dádivas inexauríveis de Deus. 

Os Seres Avançados que vêm do Alto – os predecessores da humanidade – darão assistência às nações que servem bem a Deus, mas as que não querem fazê-lo não terão ajuda. 

Não haverá uma única nação dominante. Os que pensam em prevalecer estão do lado errado. Houve um tempo em que grandes animais viviam na Terra. O que lhes aconteceu? O Senhor os destruiu. Ele acabará com todos os que querem comandar a Terra no presente e os enviará para outro lugar. Por esta razão, foi dito nas Escrituras: “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a Terra”.[1] 

Imagine que uma centena de pessoas lhe deve dinheiro. Elas arruinarão toda a sua vida. É preferível esquecê-las e não esperar nenhum pagamento. Senão, você precisaria levar esses cem indivíduos ao tribunal. Se processar um por mês, quantos meses litigará com eles, quantos problemas terá? Talvez recupere mil levas[2] – gastando mais que isso. 

Uma pessoa chega a você e lhe diz: “Eu não possuo nada. Não posso pagar”. Se ela não tem, deixe-a em paz. Os turcos têm um ditado: “Não pague o que deve. Não peça o que tem a receber”. Isso significa: que haja um perdão internacional recíproco de todas as dívidas. 

Um irmão perguntou: “Quando o Novo chegará a se manifestar na Terra?”

Mestre respondeu: 

Por carroça puxada a búfalo, a pessoa viaja muito lentamente. Quando é o cavalo que leva a charrete, é mais ligeiro, e a rapidez aumenta se você for de carro, de avião e, ainda mais, se viajar à velocidade da luz. Você pergunta: “Quando as coisas vão melhorar?” Se você andar de carroça puxada a búfalo, o progresso virá muito devagar. Mas, se você se mover com a velocidade da luz, chegará em muito pouco tempo. 

[1] Mateus 5, 5.
[2] Antiga moeda da Bulgária.